texto

Partir

22:36Huiolla Ribeiro


                 Quis ir embora daquele mundinho. Quis esquecer de toda aquela rotina que vem me consumindo e me fazendo esgotar toda minha energia, que vem me deixando fraca e intolerante e que só vem me fazendo mal. Já estava cansada de toda aquela gente e de toda aquela ladainha. Estava cansada daquele mundinho monótono e tão... tão normal! Nunca fui normal, nunca andei de acordo com as normas e adequações da sociedade. Nunca me adequei, nunca me encaixei. Tudo estava se tornando tão fútil pra mim, as pessoas eram sempre as mesmas: dupla face. Os assuntos eram sempre os mesmos, meus passos eram sempre iguais. Onde estava a novidade? Onde estava o tal "motivo pra estar ali"? Onde estava a graça da coisa?
                 Sabia que se quisesse mesmo ir embora teria que abdicar de algumas coisas, como os meus pais irritantes que só são tão irritantes assim porque me amam. Meus irmãos que são simplesmente insuportáveis e ótimos ao mesmo tempo. Meus amigos - me refiro aos verdadeiros. Elvis meu coelho, Rex meu periquito, minha família,  meu namorado...  Meu namorado que me acha linda mesmo com aquela cara e aquele cabelo de quem acabou de acordar...
                 Deixei tudo de lado e fui. Finalmente fui. Deixei pra trás, minha família, meus amigos, minhas coisas, minha vida. Fui. Fui por inteira, sem aquele peso na consciência por deixar tudo pra trás. Depois do primeiro passo percebi que já não tinha mais medo, e, aquele vontade de voltar antes de nem mesmo partir simplesmente não existia mais. Mais alguns passos a frente - ainda não tinha ido muito longe - ali mesmo, no meio da praça em frente a minha casa , me dei conta em que o mundo lá fora é grande de mais pra alguém com 1,55 de altura. Ali ao lado, mais a frente, do outro lado do mundo ou em outra galáxia não seria muito diferente do meu mundo aqui, porque o mundo era meu. Não importa pra onde eu esteja ou pra onde eu vá; Meu mundo provavelmente seria o mesmo que aquele que estava prestes a deixar pra trás. As pessoas não seriam as mesmas, os prédios a minha volta não seriam os mesmos e as árvores não teriam o mesmo formato, o lugar até poderia ser diferente, mas eu, eu continuaria sendo eu. 
                   Quando dei por mim, lá estava eu, deitada em minha cama viajando em pensamentos às 03:37 da madrugada. Não fui muito longe dessa vez. Fui logo ali e voltei rapidinho. A vontade de largar esse mundo é grande, admito, mas falta coragem, falta tempo e falta esquecer que o mundo é o mesmo onde quer que eu esteja e que é a esse lugar que pertenço. Com o tempo o mundo vai mudar, as pessoas vão crescer e os tais "padrões da sociedade" talvez mudem e eu talvez me encaixe perfeitamente nele. Decidi não partir de vez, talvez vez ou outra no aconchego da minha cama. Talvez.
             
Imagens: Gheovana Rocha © 
                 

You Might Also Like

0 comentários

Educação é tudo.

Popular Posts

Tumblr

Formulário de contato